Pesquisar

O que é CTA? Aprenda a gerar conversões com suas calls to action

Descubra o que é CTA e multiplique sua geração de leads e clientes

Para você que quer saber o que é CTA, considere que é uma técnica que convida o leitor a tomar uma ação, seja baixar um material, inscrever-se em um evento, comprar algum produto ou contratar um serviço. Mas, não basta fazer este convite.  Você precisa usar algumas estratégias para reforçá-la para conseguir que o leitor realmente realize aquela ação. Quer saber mais? Então continue lendo!

  1. O que é CTA?
  2. Para que serve a CTA?
  3. Tipos de CTAs
  4. Como se deve usar a CTA?
  5. Onde posso usar a CTA?
  6. Onde posicionar uma CTA?
  7. Como escolher a CTA certa?
  8. 5 exemplos de call to action
  9. Como o assunto pode influenciar a CTA?
  10. Como saber se a CTA deu resultado?
  11. As 5 regras de ouro da CTA
  12. Luz, câmera, chame para a ação!

O que é a chamada para a ação?

Para você que ainda não sabe o que é CTA, trata-se basicamente de um convite para um usuário realizar alguma ação desejada, o que é feito através de uma frase – que pode ser utilizada em links, botões e até imagens. Porém, apesar de ser tradicionalmente utilizado pelo marketing, ela também é utilizada em e-mails para nutrir potenciais clientes e até na prospecção ativa.

Vale lembrar que a chamada para ação não se limita a ofertas de vendas. Como destacamos, é uma frase para convidar o usuário a tomar alguma ação. Seja baixar um material, se cadastrar em algum evento, ler algum conteúdo, entre outros.

Para que serve a CTA?

Além de entender o que é CTA, também é importante saber para que serve a técnica. Em poucas palavras, é uma ferramenta essencial em marketing que serve para convencer os usuários a realizar ações específicas que você deseja. Portanto, é crucial para guiar visitantes, converter leads e engajar clientes, ajudando a alcançar melhores resultados para o seu negócio.

Tipos de CTAs

Tendo entendido o que é CTA e para que servem, falta explorar os tipos que ela pode assumir. Essencial para guiar os usuários em sua jornada, ajudando a alcançar objetivos específicos de marketing, ela pode ser estrategicamente usada para diferentes públicos e situações, alavancando seu impacto e efetividade:

  • Para visitantes: use quando quiser que as pessoas que acabaram de chegar ao seu site deem o próximo passo
  • Para leads: quando você já capturou a atenção dos seus visitantes, é hora de transformá-los em leads
  • Para clientes: use sempre, para manter seus clientes engajados e incentivados a continuar comprando
  • CTAS inteligentes: opções personalizadas que se adaptam ao comportamento do usuário para oferecer uma experiência única. 

Torne sua comunicação com o cliente mais assertiva com Leads2b

Como se deve usar a CTA?

Usar CTAs de maneira estratégica é crucial para guiar os visitantes em suas jornadas, desde consumir mais conteúdo até se engajar com a sua marca e participar de eventos. Ao personalizar suas chamadas para diferentes objetivos, você aumenta as chances de converter visitantes em leads e clientes. Vamos ver algumas formas de usá-los de maneira eficaz:

  • Gerar tráfego para outro artigo no blog: se você quer que os leitores continuem navegando no seu blog, inclua uma CTA no final do artigo sugerindo outro conteúdo relevante.
  • Inscrições em uma newsletter: construa sua lista de e-mails convidando os visitantes a se inscreverem na sua newsletter para receberem novidades e conteúdos exclusivos
  • Recomendar um download: ofereça materiais ricos, como e-books ou guias, em troca do e-mail do visitante
  • Direcionar para uma landing page: use CTAs para levar os visitantes a páginas de captura com informações detalhadas sobre suas ofertas
  • Compartilhamentos, curtidas e comentários nas redes sociais: incentive os visitantes a interagir com suas postagens nas redes sociais para aumentar o engajamento 
  • Seguidores nas redes sociais: convide os visitantes a seguir suas contas nas redes sociais para ficarem por dentro das atualizações
  • Assistir um vídeo: se você tem vídeos que agregam valor, incentive os visitantes a assisti-los para se engajarem mais com seu conteúdo
  • Participar de um evento: promova eventos ao vivo, webinars ou conferências incentivando as inscrições

Responder a uma pesquisa: obtenha feedback ou informações importantes pedindo aos visitantes que respondam a uma pesquisa.

Onde posso usar a CTA?

Você pode usar CTAs em diferentes canais para guiar seus visitantes e clientes em potencial na jornada de compra:

  • Home do site: pode ser usada para direcionar os visitantes para páginas importantes, incentivar o cadastro em uma newsletter, ou destacar uma oferta especial
  • Páginas do site: em páginas como as de produto, serviços, sobre nós, e outras, CTAs podem ser usadas para converter visitantes em leads, levá-los para páginas de compra ou outros conteúdos relevantes
  • Redes sociais: incentivam os seguidores a visitar o site, participar de promoções, baixar conteúdos exclusivos ou simplesmente interagir com o conteúdo
  • e-mail marketing: são essenciais para direcionar os destinatários para ofertas especiais, landing pages, inscrição em webinars, ou até mesmo para fazer compras
  • Posts no blog: podem direcionar os leitores para conteúdos relacionados, pedir que se inscrevam na newsletter, baixem um e-book, ou se inscrevam para um webinar
  • Anúncios: são usadas para encorajar os usuários a agir imediatamente, seja para fazer uma compra, participar de uma promoção, ou se inscrever em uma lista de e-mails
  • Vídeos: encorajam os espectadores a se inscreverem no canal, visitarem o site, baixarem materiais, ou compartilharem o vídeo nas redes sociais
  • Ofertas: atraem visitantes e convertê-los em leads, promovendo descontos exclusivos, amostras grátis, ou ofertas limitadas
  • Materiais específicos: como e-books, whitepapers, guias, CTAs são usadas para coletar informações dos usuários em troca de acesso ao conteúdo.

Onde posicionar uma CTA?

Posicionar uma call to action corretamente pode fazer toda a diferença para aumentar as conversões. Aqui estão alguns lugares estratégicos para inseri-las:

  • Final de páginas: ao final de um artigo ou página, uma chamada para ação bem posicionada pode capturar a atenção do leitor após ele ter consumido seu conteúdo. Exemplo: “Gostou deste artigo? Inscreva-se na nossa newsletter para receber mais conteúdos como este!”
  • e-mail marketing: nos e-mail marketing enviados para sua lista, o CTA deve ser claro e direcionar o leitor para a ação desejada. Exemplo: “Clique aqui para aproveitar nossa oferta especial!”
  • Imagens no blog post: inserir CTAs em imagens dentro do seu blog pode aumentar a visibilidade e o engajamento. Exemplo: “Baixe nosso guia completo de marketing digital agora!”
  • Barra lateral: a barra lateral do seu site pode ser um ótimo local para uma chamada para a ação fixa que acompanhe o visitante durante sua navegação. Exemplo: “Inscreva-se para receber nossas atualizações!”
  • Cabeçalho do site: uma chamada para ação no cabeçalho do site pode ser um dos primeiros elementos que os visitantes veem. Exemplo: “Descubra nossos serviços agora!”

Como comentamos acima, posicionar seu CTA nos lugares certos aumenta as chances de conversão. Escolha os locais estrategicamente para maximizar o engajamento e levar seus visitantes a tomarem a ação desejada.

Como escolher a CTA certa?

Como dissemos no início, uma chamada para a ação pode ser usada para vários objetivos – mas todos, obviamente, buscam qualificar e fortalecer o relacionamento com os possíveis compradores/clientes. 

Mas, como saber qual escolher? Para isso, você precisa considerar alguns fatores:

  • Considere o estágio na jornada de compra: se você está fazendo uma primeira abordagem através da prospecção ativa (caso do e-mail frio), é muito difícil entender em qual estágio da jornada de compra aquela pessoa está. Mas, se você já interagiu com ela antes, está fazendo um acompanhamento, nutrição ou tentando reaquecer o contato, já tem uma ideia. Dessa forma, ao trabalhar um potencial cliente que precisa ser amadurecido, por exemplo, provavelmente sua chamada para a ação será sobre o consumo de algum conteúdo. Assim:

 Exemplo de chamada para a ação no botão "Acessar gratuitamente"
Exemplo de chamada para a ação no botão “Acessar gratuitamente”
  • Saiba quem é a persona: persona é uma representação fictícia do seu cliente ideal, baseada em dados reais e suposições informadas. Exemplo: Se você está escrevendo para jovens empreendedores, sua chamada deve ser mais dinâmica e informal, como “Descubra como turbinar sua startup!”
  • Saiba o nível de conhecimento da persona: avalie o quanto seu público sabe sobre o assunto. Se eles são iniciantes, use chamadas que ofereçam guias ou tutoriais básicos. Para especialistas, forneça conteúdos avançados ou convites para webinars
  • Escolha o formato do call to action: decida qual formato é mais eficaz para a sua mensagem e público. Pode ser um botão, um link, um banner ou até mesmo uma frase destacada
  • Escolha o objetivo: determine o que você quer alcançar com a CTA. Pode ser aumentar o tráfego para outro artigo, conseguir mais inscrições na newsletter, incentivar compartilhamentos nas redes sociais, entre outros

Escolher a chamada para ação certa é uma combinação de entender seu público, avaliar seu nível de conhecimento, selecionar o formato mais eficaz e definir claramente o objetivo. Com essas estratégias, você pode criar chamadas que realmente engajem seu público e gerem os resultados desejados.

5 exemplos de call to action

As CTAs são estrategicamente criadas para incentivar ações específicas dos usuários, seja para experimentar um serviço, baixar conteúdo, participar de uma pesquisa, retornar ao site regularmente, ou descobrir ofertas exclusivas. Vejamos exemplos de cada caso:

  • Teste: atrai potenciais clientes oferecendo acesso gratuito a um produto ou serviço por um período limitado, com o objetivo de permitir que experimentem antes de comprar. Exemplo: “Experimente nosso software gratuitamente por 30 dias. Comece agora!”
  • Material rico: oferece aos visitantes conteúdo valioso, como e-books, whitepapers ou estudos de caso, em troca de suas informações de contato, ajudando a gerar leads qualificados. Exemplo: “Baixe nosso e-book completo sobre marketing digital. Acesse agora!”
  • Enquetes: convida os visitantes a participarem de pesquisas rápidas para coletar feedback e dados que podem ser usados para melhorar produtos ou serviços. Exemplo: “Participe da nossa pesquisa rápida e compartilhe sua opinião!”
  • Come back: incentiva os usuários a retornarem ao site ou à loja, seja para verificar novos produtos, promoções ou conteúdo atualizado. Exemplo: “Volte para conferir as novidades em nossa loja toda semana!”
  • Venda surpresa: oferece aos visitantes uma oferta especial que é revelada ao clicar na CTA, criando um senso de urgência e curiosidade. Exemplo: “Descubra nossa oferta surpresa do dia. Clique aqui para saber mais!”

Como o assunto pode influenciar a CTA?

O assunto de um e-mail é como a porta de entrada para o conteúdo que você quer compartilhar com seus destinatários. É a primeira coisa que eles veem na caixa de entrada, então precisa ser irresistível o suficiente para que cliquem e abram o e-mail. Se o assunto for fraco ou pouco envolvente, as pessoas provavelmente não vão abrir seu e-mail, o que significa que não vão ver seu CTA.

Além disso, a relação entre o assunto do e-mail e o CTA é crucial. Se você está oferecendo um desconto especial em seu e-commerce, por exemplo, o assunto do e-mail deve destacar esse desconto para atrair a atenção do destinatário. O CTA, então, deve ser algo como “Compre agora com 20% de desconto!” Se o assunto não mencionar o desconto, as pessoas podem não se sentir motivadas a abrir o e-mail e, consequentemente, não verão o CTA.

É como se o assunto fosse o anzol que atrai o peixe e o CTA fosse a isca que faz o peixe morder a linha. Se o anzol não for atrativo o suficiente, o peixe nem vai chegar perto da isca. Portanto, o assunto forte é fundamental para que o CTA tenha a chance de ser eficaz. Eles devem estar alinhados para garantir que os destinatários se sintam compelidos a abrir o e-mail e agir conforme desejado.

Capte leads com qualidade usando os recursos avançados da Leads2b

Como saber se a CTA deu resultado?

Saber se uma CTA deu resultado é essencial para entender o impacto das suas campanhas e ajustar suas estratégias. Existem algumas maneiras simples de avaliar isso:

  • Taxa de cliques (CTR): a taxa de cliques mostra quantas pessoas clicaram na sua CTA em relação ao número total de pessoas que a viram. Por exemplo, se 100 pessoas viram e 10 clicaram, sua taxa de cliques é 10%
  • Conversões: se sua chamada para a ação é projetada para levar a uma ação específica, como uma compra ou inscrição, você pode medir quantas dessas ações foram realizadas como resultado direto dela
  • Acompanhamento de URLs: se você está usando uma CTA que leva a uma página específica, como uma landing page, pode acompanhar quantas visitas essa página recebeu diretamente de lá
  • Analytics: ferramentas de análise web, como Google Analytics, podem fornecer informações detalhadas sobre o comportamento do usuário, permitindo que você veja de onde os visitantes vieram e o que fizeram depois de clicar no seu call to action
  • Testes A/B: testar diferentes versões da sua chamada para ação pode ajudar a determinar qual é mais eficaz. Compare taxas de cliques e taxas de conversão para ver qual variação funciona melhor
  • Feedback dos usuários: às vezes, os usuários fornecem feedback diretamente, dizendo se gostaram ou não da CTA.

É importante avaliar regularmente o desempenho dos seus call to actions para ajustar suas estratégias conforme necessário e garantir que eles estejam maximizando seu potencial de conversão.

As 5 regras de ouro da CTA

Para fechar, vamos falar sobre as duas regras de ouro das suas chamadas para ação que podem fazer toda a diferença no sucesso das suas campanhas!

1) Faça testes A/B

Imagine que você tem duas ideias incríveis para um call to action e não sabe qual vai funcionar melhor. A solução é simples: faça um teste A/B! Isso significa que você vai mostrar uma versão do para metade do seu público e a outra para a outra metade. Depois, é só comparar os resultados para ver qual teve mais cliques ou conversões. É um jeito prático de entender o que realmente funciona com a sua audiência. Afinal, o que funciona para uma empresa pode não funcionar para outra, e os testes A/B ajudam a descobrir o que é mais eficaz para você.

2) Não faça o visitante pensar

Um bom call to action deve ser claro e direto. Quando alguém a vê, deve entender imediatamente o que precisa fazer. Se o visitante tiver que parar e pensar, provavelmente ele não vai clicar. Use verbos de ação fortes e mensagens simples. Por exemplo, em vez de “Saiba mais sobre nossos serviços”, use “Descubra agora”. A ideia é facilitar ao máximo para que a ação desejada seja quase automática. Quanto menos o visitante precisar pensar, maior a chance de ele seguir o caminho que você deseja.

Seguindo essas cinco regras de ouro, você estará no caminho certo para criar chamadas para ação mais eficazes e atrativos!

3) Escolha o formato ideal

Quando o assunto é material publicitário, sua chamada para a ação pode assumir vários formatos: imagens, botões, links, entre outros. Nos conteúdos de blog e sites, as imagens e banners são mais chamativos e convertem melhor, justamente por contar com mais recursos para atrair a atenção do possível cliente.

Já em e-mails, geralmente são usados botões e links, sendo que os botões funcionam melhor1 – porque chamam mais atenção. Não esqueça de restringir suas CTAs, usando apenas um botão em cada e-mail – isso melhora suas taxas de cliques2.

Lembre-se: optar por um ou outro vai depender de testes para entender qual formato converte melhor para o seu público.

4) Destaque sua chamada para a ação

Às vezes, uma chamada para a ação pode se perder no meio de um e-mail longo ou de um texto maior, especialmente em anúncios, artigos de blog e sites onde há muitos outros elementos competindo pela atenção. No entanto, algumas estratégias podem ajudar a destacá-las CTAs e aumentar as chances de conversão:

  • Escolha cores chamativas: use uma cor que se destaque do resto do conteúdo, mas que ainda esteja de acordo com a paleta de cores da sua marca. Isso mantém uma boa experiência do usuário e aumenta a probabilidade de conversão
  • Posicione estrategicamente: coloque o call to action antes da dobra, ou seja, onde o leitor possa vê-la sem precisar rolar a tela. Sempre que possível, centralize-a para dar mais destaque
  • Considere o tamanho: mantenha a mensagem da breve, clara e direta. Ela não precisa ser longa, mas deve ser facilmente compreendida pelo leitor

Seguindo essas dicas, suas chamadas para a ação terão mais chances de se destacar e converter.

 Dicas para destacar suas chamadas para a ação
Dicas para destacar suas chamadas para a ação

5) Seja convincente!

Para que as pessoas realizem a ação desejada pelo CTA, é importante torná-la persuasiva. Aqui estão algumas dicas:

  • Use expressões claras que indiquem exatamente o que o usuário deve fazer, como “baixar material” ou “cadastrar no evento”. Instruções claras e diretas são mais eficazes
  • Incentive o usuário a agir imediatamente com palavras como “já”, “agora” ou “hoje mesmo”
  • Mostre claramente o que o usuário ganhará ao realizar a ação, como “assine agora e ganhe 40% de desconto” ou “acesse gratuitamente”
  • Assegure-se de que a oferta seja realmente atraente e de valor para o potencial cliente.

Use essas dicas em suas chamadas para a ação para torná-las mais persuasivas
Use essas dicas em suas chamadas para a ação para torná-las mais persuasivas

Seguindo essas orientações, suas CTAs terão mais chances de sucesso!

Luz, câmera, chame para a ação!

Hoje vimos o que é CTA e como essa técnica pode ser aplicada tanto em seus e-mails frios – uma abordagem da prospecção ativa – como em apresentações de vendas, como em sites, e-mail marketing, anúncios, LPs praticamente qualquer estratégia de publicidade. Independente da abordagem, ela precisa ser bem elaborada para conseguir convencer o leitor a realizar a ação desejada. 

Algumas práticas, como a clareza na mensagem, o alinhamento ao contexto, o formato ideal para seu público, o uso do senso de urgência e o destaque dos benefícios ajudam neste sentido. Lembrando que é fundamental acompanhar as taxas de cliques para entender o que está funcionando (para replicar) e o que não está (para evitar). 

Mas, e você: já usava alguma destas práticas em suas chamadas para a ação? Conta para a gente nos comentários!

Picture of Jéssica Muller   <i class="fab fa-linkedin"></i>
Jéssica Muller  

Mãe e sagitariana, trazendo inovação e engajamento através de palavras. Combino minha paixão por leitura (mais de 150 livros ao ano) com uma abordagem criativa e analítica em escrita!

Veja todos os artigos da Jéssica  
Posts recentes
Descubra o que é PQL, quem pode usar e como criar uma estratégia para captá-alo e convertê-lo em cliente

O PQL é um lead que já usou seu produto, seja em teste ou uma versão gratuita, portanto entende o valor da sua solução. Saiba como captá-lo e convertê-lo em cliente.

Você sabe o que é 5W2H? Trata-se de perguntas que ajudam a organizar ideias e ações de forma clara e objetiva. Aprenda a usá-lo para vender

Você sabe o que é 5W2H? Trata-se de perguntas que ajudam a organizar ideias e ações de forma clara e objetiva. Aprenda a usá-lo para vender!

Descubra como fazer um fluxo de nutrição passo a passo

Construir e manter um fluxo de nutrição para leads qualificados pode ser o segredo para aumentar suas vendas. Descubra como montar o seu.

Saiba o que é ongoing, sua importância e como aplicar em seu comercial

O ongoing é ajudar o cliente a alcançar marcos de sucesso com a solução que você vendeu a ele. Veja como colocá-lo em prática em 6 passos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe

Inicie agora seu teste gratuito de 7 dias na plataforma Leads2b

plataforma go-to-market

Mais que um CRM ou uma ferramenta de Marketing.

Plataforma Go-to-Market (GTM) para empresas desenvolverem inteligência e eficiência para vender mais e melhor.